sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Paizinho Fodendo Cdzinha Falando Sacanagens


Paizinho fodendo cdzinha falando sacanagens - shemalescontos


- Ah, safadinha! Quer no cuzinho, quer? Então você vai levar. Toma, putinha, toma, rebola na minha vara, veadinho gostoso! Adoro fazer você de meu veadinho, minha bichinha, minha mulherzinha, minha cdzinha, minha putinha. Que delícia este rabo! Rebola, mexe, aperta o meu pau com o teu cuzinho! Isso, ai que delícia! Me sinto muito macho te comendo. E quando você lambe as minhas bolas, então... Chupa um ovo, depois o outro. Lambe e beija a minha pica, engole todinha. Adoro foder a tua boca, piranha safada. Andou dando o cuzinho por aí, andou? Então toma nesta bunda de vadia! Vai apanhar porque deixou outro macho comer o teu rabo, porque me fez de corno. Mas adoro ser corno, não sei porque, mas além de adorar ser o daddy, o paizinho, o machão, o dominador, também me excita muito saber que outro macho te fodeu, sua vagabunda. Toma neste rabo, toma nesta bunda!

- Ai, paizinho, que tesãaaoooo loucaaaa!!! Você me deixa louca com as tuas sacanagens e putaria. Adoro o teu caralho arrombando o meu rabo de piranha. Adoro fantasiar que o meu cuzinho é uma bucetinha de putinha. Usa a minha bunda, usa a minha buceta, sou toda tua pra satisfazer os teus desejos de macho dominador. Bate na minha bundinha, bate! Ai, que dor, malvado! Tarado! Safado! Adoro apanhar na bundinha e levar no cuzinho. Arromba o meu rabinho, ai, tesão, safaaadoooo! Quero ser tua todinha, tua putinha, teu veadinho, teu garotinho, tua garotinha, tua mulherzinha. Fode, paizinho, fode a mamãezinha! Caralho!!! Ai, caralho! Fundo, assim, gostoso! Ai, meu rabo, safadão, gostosão, adoro o teu pauzão. Ai, mais forte, assim, não para, ai delícia, sou tua escrava, você é o meu dono, assim, mete tudinho, estou gozando, ai que delícia gozar na tua rola, amor! Aaaaahhhhhhhhh...

Paizinho fodendo cdzinha falando sacanagens - shemalescontos

O daddy maduro peludo urso tirou o pau grosso do cuzinho da bichinha cdzinha e gozou loucamente na boca da vadia.

- Aaaaaahhhhhhhh... Toma, safada vadia, minha puta gostosa! Você adora leitinho na boquinha, adora leitinho na cara. Isso, engole a porra do teu dono, do teu macho, do teu paizinho, do teu comedor, engole todinha cadela. Delícia!!! Aaaaaahhhhhhhhh...

A sissy cdzinha putinha engoliu a porra todinha, e ainda ficou com a cara toda lambuzada do leitinho do seu macho. Safadinha, também quero foder o teu rabinho.

Autor: Pitágoras da Silva

domingo, 9 de outubro de 2016

Kellen, A Travesti Que Comeu Mário Pela Primeira Vez


Kellen, a travesti que comeu Mário pela primeira vez - shemale's contos

O macho adorava ser bicha na intimidade. Na sociedade era um homem normal, mas, de vez em quando, af! soltava a franga ou, todas as frangas possíveis. Era um homem atlético, empresário bem sucedido do ramo calçadista. Sua idade? Quarenta e poucos anos. Tinha namorada mulher. Gostava de mulher, porém, gostava também de se vestir de mulher. Tinha uma coleção de lingeries em casa. Experimentava todas as calcinhas, se olhava no espelho, sentia um tesão... Não cabia em si de tanto tesão ao ver-se no espelho como mulher. Rebolava a bunda, metia brinquedinhos no rabo, arredando a calcinha. Delícia! Adorava ver o rabo preenchido com um consolo. Para ele a cena possuía uma estética indescritível.

Entretanto, o cara só havia experimentado paus artificiais. Nunca um pau de nervo - de verdade - havia invadido as suas entranhas anais. Ele não aguentava mais de tanto desejo de dar o cu para um macho de verdade. O seu lado veado estava aflorando cada vez mais. Não cabia mais em si de tanto veado que existia dentro dele querendo se manifestar, pular, gritar, gemer, dar, dar, dar... até o rabinho ficar assado, arregaçado, rasgado, exausto. Ele desejava um macho, mas... a vida tem os seus mistérios e surpresas. Um belo dia, quando foi ao Fórum para resolver uma ação judicial, o seu olhar cruzou com o olhar de uma bela mulher. Foi um olhar químico, alquímico e mágico; cheio de tesão. Muitas coisas gostosas foram ditas nesse olhar.

Mário (o nome do nosso herói) não hesitou um segundo. Se aproximou da mulher e puxou conversa. A mulher alta e bela correspondeu. Resumo da história: marcaram um encontro para se conhecerem melhor. Ele tinha notado que a voz da gostosa era um pouco grave. Comentou com ela - delicadamente - sobre o fato. A mulher sorriu e disse que ela era homem. Opa, como assim? Então ele estava com uma travesti pensando que era uma mulher?  A confissão, todavia, não o desagradou, muito pelo contrário, trouxe à tona todas as suas fantasias gays. A conversa foi se tornando cada vez mais picante e os dois foram parar num motel. Se beijaram muito na boca como dois namorados. Ele estava amando sentir e acariciar o corpo feminino da bela transexual. Levou a mão ao meio das pernas de Kellen (o nome da nossa heroína) e encheu a mão com aquela coisa dura e gostosa.

Kellen, a travesti que comeu Mário pela primeira vez - shemale's contos

Apalpou, agarrou, pegou nas bolas e caiu de boca no caralho duro e grosso. Chupou com muito desejo. Intercalou chupadas mais profundas com beijos e lambidas no saco e na cabeçorra da pica. Desfrutou muito da piroca na boca.A boneca sussurrou ao seu ouvido se ele queria aquele caralho no cuzinho. Ele disse que era o que mais queria da vida. Se ajeitou deitando de bruços. Kellen encapou a piroca, passou gel no cuzinho de Mário e esfregou a cabeça gostosamente em todo o rego. Mário gemia de tesão. Gemeu muito mais quando a linda foi penetrando a cabeça da pica. Devagarinho foi introduzindo todo o membro gostoso. Mário sentiu dor, mas não muita. Afinal, vivia introduzindo consolos de todos os tamanhos no rabo.

Quando Kellen começou a bombar foi um presente dos deuses. Um tesão indescritível sentir aquela "mulher" gostosona com um belo e rijo cacete comendo o seu rabo, lhe falando putarias ao ouvido, e fazendo dele o homem mais feliz do mundo. Fizeram sexo em várias posições; Mário sempre fazendo o papel passivo. O seu cu já estava esfolado e exausto de tanto levar rola. Mário não aguentou tanto tesão e ejaculou gostosamente com a pica de Kellen no rabo. Kellen, a seguir, tirou a pica e a camisinha, e meteu na boca da bicha que recém havia perdido a virgindade anal. Gozou porra quentinha em abundância na boca de Mário. Ele degustou e leitinho e depois devolveu espalhando-o por todo o rosto. Que delícia sentir a porra no rosto, o cheiro da porra, o gosto da porra daquela transex maravilhosa! Beijaram-se na boca; um beijo com gosto de transgressão, pecado, safadeza, putaria e, é claro, também com gosto de porra.

Autor: Kellen Kern Pinto (na terceira pessoa)